Fazendo o verniz para ambrótipos, ferrótipos e negativos de vidro – Parte 2

Continuando o procedimento do post anterior Fazendo o verniz para ambrótipos, ferrótipos e negativos de vidro – Parte 1, “visitei” minha goma+álcool nos dois dias seguintes. Agitei a garrafa esporadicamente ao longo dos dias e pude observar a diluição lenta mas contínua da goma. Ao final do segundo dia, já estava praticamente tudo diluído e muita sujeira estava no fundo da garrafa.

Como tivemos cursos no laboratório neste meio tempo, só após mais alguns dias eu consegui finalmente tempo para filtrar a mistura e continuar a receita.

Goma já diluída no álcool de cereal. A sujeira toda decantou no fundo do pote.
Goma já diluída no álcool de cereal. A sujeira toda decantou no fundo do pote.

A filtragem é extremamente necessária para retirar a sujeira orgânica da solução. Eu lí que a filtragem pode ser feita com filtro de café. Mas como eu recentemente comprei alguns filtros de laboratório, resolvi arriscar usá-los e ter uma filtragem mais fina. O medo era o filtro entupir e a goma começar a secar.

Filtro para laboratório. Porém, filtro de café também dizem que funciona bem.
Filtro para laboratório. Porém, filtro de café também dizem que funciona bem.

Agora um aviso: Se prepare para fazer uma certa sujeira, principalmente se como eu, derrubar um tanto da solução na pia! O verniz endurece em contato com a água (como eu vim a aprender) então tenha certeza de que todos os frascos e objetos estejam bem secos.

A solução passou sem muitos problemas pelo filtro, porém tive que trocá-lo duas vezes para passar tudo sem demorar muito. Os filtros ficaram bem sujos! A solução filtrada ficou bem límpida e amarelada.

Separei-a em dois frasco iguais de cerca de 250ml já que o volume total dos 470ml de álcool mais a goma dá aproximadamente 500ml. Em um dos frascos, eu adicionei metade da quantidade pedida de Óleo de Lavanda. O outro frasco eu deixei sem o óleo. Fiz assim pois como não sabia se iria dar certo, achei melhor testar o verniz antes de misturar tudo.

Depois da filtragem. A garrafa da esquerda tem só a mistura de Goma Sandaraca e álcool. A da direita tem adicionado o Óleo de Lavanda, que depois de bem misturado, não muda a aparência da solução.
Depois da filtragem. A garrafa da esquerda tem só a mistura de Goma Sandaraca e álcool. A da direita tem adicionado o Óleo de Lavanda, que depois de bem misturado, não muda a aparência da solução.

Depois de toda essa filtragem e troca de frascos, ficou tudo com uma camada meio esbranquiçada de verniz seco nas coisas. Nem tente lavar com sabão de primeira que só piora (eu fiz isso). O melhor é tentar limpar o máximo que der com uma toalha de papel embebida de álcool de cereal. Depois que tiver tirado o máximo, lave com esponja, água e sabão.

E já que eu acabei tudo, por que não testar? O procedimento de envernizar uma placa é muito semelhante do de espalhar o colódio. Vou aproveitar o vídeo que o Quinn Jacobson fez do procedimento para vocês verem como é feito.

É importante ter um frasco de “coleta” para pegar o excesso de verniz que foi aplicado na placa de vidro. A idéia de não voltar para o mesmo frasco é de evitar a contaminação por sujeira. O frasco de coleta depois é deixado quieto num canto até a sujeira decantar e o verniz ser transferido para o frasco limpo sem a sujeira que ficar no fundo. Não sei ainda se é possível também filtrar a solução.

O frasco da direita é o da "coleta" dos excesos de verniz.
O frasco da direita é o da “coleta” dos excesos de verniz.

A placa depois de envernizada fica com um aspecto brilhante, difícil de mostrar em foto, mas lá vai:

Superfície do lado do colódio depois de envernizada. Ao invés da textura do colódio e prata, fica uma superfície mais uniforme e brilhante.
Superfície do lado do colódio depois de envernizada. Ao invés da textura do colódio e prata, fica uma superfície mais uniforme e brilhante.

Tendo feito isso, acabamos de desenvolver os passos mínimos para uma fotografia em placa úmida de colódio básica. O que nos deixa muito contentes!

Montei uma “ceninha” rápida de algumas coisa que fizemos (esq. para dir.):
– lamparina de álcool
– imagem positiva de colódio sobre vidro (ambrótipo). Eu , em foto de Fernando Fortes
– verniz de goma sandáraca
– colódio salgado feito a partir de colódio puro produzido por nós
– ao fundo, estante-secadora para as placas de vidro

rhs_20130619_0804-

Agora é só continuar a pesquisa e fotografar bastante!

Abs,

Roger Sassaki

Print Friendly, PDF & Email

One thought

Deixe uma resposta