Fazendo Calótipo – 2ª tentativa

calótipo - retrato na janela da casa Ranzini
Retrato na janela da Casa Ranzini. Original negativo (esq.) e versão positiva digital (dir.). Calótipo de Fernando Fortes. São Paulo, 10/2012.

Na semana passada fizemos nossa segunda sessão de calótipos. Bom, na verdade eu pouco fiz, foi mais o Fernando Fortes mesmo que se animou com o sol e resolveu fotografar. Agora acho que as duas coisas essenciais para se fazer fotografias em calótipos são: Muito sol e muita vontade.

A primeira é porque estamos conseguindo tempos de exposição de 8 minutos sob sol direto a f/5.6. O fotômetro marca EV15 para ISO160 (o calótipo não é ISO160! Deve ser ISO1 ou menos ;)) Tínhamos nos programado para fotografar na terça feira mas como estava nublado e chuvoso, desistimos. Em um dos livros que eu li do séc, 19 (não lembro qual agora) o próprio autor falava que se estivesse nublado e úmido, que era pra desistir de fotografar e aproveitar o tempo pra “iodizar” e encerar papéis para calótipo para um dia de sol. Foi que que fizemos!

Esses processo antigos realmente dependem de muita vontade. São muitos passos para preparar o papel para receber a imagem e depois tem tempo de revelação de 15 minutos até 2 horas! Fora todo o resto do pós processamento. Então, apareceu sol? Deu vontade de fazer? Faça! Você vai precisar de ambos ao decorrer do dia.

A primeira foto do dia é esta que abre o post, duas pessoas na janela, nossos colegas de casarão. E aqui é minha pequena contribuição que foi o enquadramento. Como utilizamos uma câmera 4×5 com todos os “tilt&shift” eu me animei em exercitar, depois de anos, os movimentos de báscula e do grande Scheimpflug! Vocês podem notar que as duas pessoas estão um pouco tremidas, pois ficaram 8 minutos de estátua. Aliás, pensando agora, aqueles artistas de rua que fazem estátua são ótimos candidatos a modelos para calótipos. Hmmmm…

Dados da primeira imagem:
Papel: Canson Vegetal escolar
Sensibilização (formula nº1) de 5 min por flutuação
Exposição de 8 min f5.6 sol forte (EV15 em ISO 160)
Revelação de 2 horas e 15 min – solução de ácido gálico 1,6g – 200ml água + 2 gotas de nitrato de prata (Com esse tempo longo de revelação + nitrato de prata na solução, note que a prata atingiu um preto mais escuro e de cor neutra se comparado ao tom acastanhado dos outros)

Este calótipo está muito mais “limpo” do que o nosso primeiro. Fica a dúvida se este papel é melhor que o papel vegetal de 90gsm ou se fizemos alguma coisa certa desta vez. Só da pra saber quando repetirmos com o papel de 90gsm. Esse papel vegetal escolar é bem fino, 60gsm, o que o torna bem dificil de manipular durante os banhos de imersão e flutuação. Rasga só de olhar pra ele.

A segunda foto do dia não deu certo. O papel é é diferente. Veja o que aconteceu.

Calótipo ruim com papel skiss canson
O papel Canson Skiss não parece ser bom para o processo do calótipo.

Na verdade, esta é a segunda vez que tentamos usar este papel e não dá certo. A primeira foi logo na primeira sessão mas eram tantas outras variáveis que achamos que erramos algo. Como desta vez as condições foram as mesmas do calótipo “bom” anterior, achamos que realmente o papel não é compatível com o processo. Pode ser que ele tenha uma reserva alcalina, que causa problemas com o processo, mas não achei nada na descrição do papel no site da Canson.

Dados do segundo calótipo:
Papel Skiss Canson
Sensibilização (formula nº1) de 5 min por imersão
Exposição de 8 min e 30 seg f5.6 sol forte (EV15 em ISO 160)
Revelação de 40 min

Por fim, o Fernando resolveu fazer um autorretrato com uma escada “talbotiana”.

Calótipo – autorretrato com escada. Fernando Fortes. São Paulo, 25/10/2012.
Dados do terceiro calótipo:
Papel Canson vegetal escolar
Sensibilização (formula nº1) de 5 min por imersão
Exposição de 10:30 f5.6 sol forte
Revelação de 25 min

Para os três calótipos, após a revelação o processamento do papel foi:

  • Água 5 min
  • Fix 1 10 min
  • Fix 2 10 min
  • Sulfito de sódio 5 min
  • Lavagem 15min

Eu creio que 15 pode ser pouco tempo de lavagem, mas já estávamos no final do dia e precisávamos guardar tudo e ir!

Roger Sassaki

Print Friendly, PDF & Email

One thought

  1. Salve

    Complimenti per le immagini (Retrato na janela da Casa Ranzini e autorretrato com escada) , sono straordinarie.
    E’ un po di tempo che provo il Calotipo ma i miei risultati sono di bassa qualità, mi permetto quindi di chiedervi qualche chiarimento in merito alla vostra tecnica. Uso la Carta Canson Marker.

    Quale formula di Iodizzazione per queste due immagini?
    Come è fatta la soluzione di acido gallico?
    2 gocce di nitrato di argento a che concentrazione?

    Vi ringrazio e auguro buon lavoro

    Ferruccio

    ferro2222@gmail.com

    1. Ferruccio,

      Eu nesse caso, eu estou seguindo a fórmula de iodização #1 desta página: http://www.imagineiro.com.br/formulas-para-calotipo/

      A formula de sensibilização é também a #1 desta outra página: http://www.imagineiro.com.br/formulas-para-calotipo-sensibilizacao/

      Se você lê em inglês, pode ler diretamente as instruções que sigo do livro de Alan Greene: http://www.amazon.com/gp/product/0240804619/ref=as_li_qf_sp_asin_il_tl?ie=UTF8&camp=1789&creative=9325&creativeASIN=0240804619&linkCode=as2&tag=rogehsassphot-20

      Tem bastante informações também neste grupo do flickr: http://www.flickr.com/groups/1384661@N22/

      Espero que continue suas investigações com calótipos, é bem interessante.

      Obrigado e abraços!

      Roger

      1. Salve Roger

        Grazie per i link.
        Oggi ho ordinato il libro di Alan Greene.
        Nel frattempo che arriva mi puoi spiegare questo:
        “” + 2 gotas de nitrato de prata”” a che concentrazione?

        Ti ringrazio e saluto

        Ferruccio

        1. Desculpe a demora.

          As duas gotas de nitrato de prata durante a revelação é opcional. É uma recomendação adicionar prata se a imagem parecer estar subexposta.

          Esta instrução está no livro de Greene.

          Já chegou o seu?

          Abraços!

Deixe uma resposta