The Book of Alternative Photographic Processes – 3ª edição

IMG_1349 (1)

Logo em seus primeiros anos de existência a fotografia se proliferou em diversas técnicas de captura e de cópia (impressão). Já na sua segunda década de vida, eram tantas as variantes e experimentações que começaram a aparecer publicações e jornais com o intuito de divulgar, registrar e agrupá-las. Um dos livros bem conhecidos da época que agrupou as diversas técnicas correntes é o The Silver Sunbeam de John Towler (1873).

Este livro de Christopher James é atual e a terceira edição é de 2015. O esforço de James é louvável e certeiro: ele consegue reunir muitas e muitas técnicas fotográficas em suas quase 900 páginas de tamanho grande e cheias the imagens coloridas excelentemente impressas. Mais do que autor, James é também o organizador de textos produzidos por outras grandes autoridades atuais como o americano Mark Osterman e também de informações de processos dadas por artistas que utilizam as técnicas em suas obras.

A meu ver, é nessa característica de ser atual que reside a grande razão para se ter este livro. Apesar de tratar de técnicas antigas, já publicadas em textos da época encontráveis gratuitamente na internet, este livro apresenta fórmulas adequadas aos materiais mais facilmente encontrados hoje em dia e com unidades de medidas mais fáceis. Os capítulos são ilustrados com muitas fotografias feitas atualmente por artistas que estão usando as formulas publicadas em seus trabalhos correntes.

As páginas são ilustradas com obras originais de artistas proeminentes no processo e com passo-a-passo claro.
As páginas são ilustradas com obras originais de artistas proeminentes no processo e com passo-a-passo claro.

James inicia cada capítulo dando um bom contexto histórico da técnica e seus descobridores e desenvolvedores. Com isso, o leitor pode aprofundar suas pesquisas históricas no assunto que lhe interessar.

É bom notar que o livro traz bastante variações e considerações de cada processo, porém é também um caminho inicial seguro para trilhar. O praticante pode se dar por satisfeito com as técnicas descritas mas talvez sinta vontade de procurar outros textos mais detalhados sobre processos específicos.

Segue a tabela de assuntos desta terceira edição:

  • Forward Matter
  • Making Art With a Box of Air: The Pinhole & Camera Obscura
  • The Anthotype and Chlorophyll Process: The Art of Printing With Flowers and Vegetation
  • The Calotype Process & The Art of Fixing Shadows
  • Bayard’s Direct Positive Process
  • The Salted Paper Process
  • The Whey Process
  • The Cyanotype Process
  • The Cyanotype: Variations & Inventions
  • The Argyrotype Process
  • The Chrysotype
  • Fumed Silica
  • The Kallitype Process
  • The Platinum & Palladium Process
  • The Ziatype Process
  • The Athenatype Process
  • The Albumen Process
  • Wet Plate Collodion Process: Tintypes, Ambrotypes & Glass Plate Negatives
  • The Gum Bichromate Process
  • Dichromate Options: The Gumoil Process, Photo-Resists, The Chromatype, Bichromated Wash Drawings, Gum Bichromate on Glass, Herschel’s Breath Printing, Estabrook’s 3-D Gum Process, Winther’s Bicro-Silver Process (1845)
  • The Carbon Print Process
  • The Van Dyke Brown Process & Variations
  • POP: Printing Out Paper Process
  • Hand Applied Emulsions
  • The Alternative Negative
  • Digital Imagining
  • Inkjet Photopolymer Gravure
  • Paper & Alternative Substrates
  • Light Markings

Fonte: http://www.christopherjames-studio.com/build/sampleChap3rdEd.html

O livro tem uma ótima seção sobre os cuidados e características dos químicos, papéis, substratos e materiais de laboratório.

Descobri que a editora do livro Cengage Learning tem um escritório no Brasil! Fiz uma pesquisa e vi que dá para comprar o livro diretamente em um destribuidor no Brasil. No caso, achei na Disal. Eles tem uma loja online mas tive que ligar e pedir pelo ISBN pois não constava no site. Eles informaram que podem trazer por encomenda. Na data da consulta, o valor em Reais estava muito próximo do valor em Dólar americano na Amazon. Acho que vale a pena comprar por aqui!

Se quiser ligar lá na Disal, pergunte pelo ISBN: 978-1-285-08931-7

Se quiser comprar pela Amazon, o link é: http://amzn.to/1Pp0N5p

Livro altamente recomendado! Essencial para praticantes dos processos fotográficos, estudantes da história da fotografia, restauradores e qualquer um com interesse por esse enorme legado cultural.

Abraços,

Roger H. Sassaki

PS: Obrigado ao Christopher James por me ceder uma cópia de educador!


Genre: bibliografia, Christopher James, História da Fotografia, Livro de Fotografia, Processos históricos

O Lápis da Natureza (The Pencil of Nature), 1844

O Lápis da Natureza – William Henry Fox Talbot

Talvez você já deva saber que o marco considerado o nascimento da fotografia foi o anúncio feito por Louis Daguerre, através da Academia Francesa de Ciências, do invento do Daguerreótipo em 7 de janeiro de 1839. Mas o aparecimento da fotografia não foi de um dia para o outro, foi uma evolução e um acumulo de investigações e descobertas. Neste período em especial, muitos filósofos se empenhavam em estabelecer um método consistente de fixar as imagens projetadas pelas objetivas.

No mesmo período na Inglaterra, Fox Talbot desenvolvia seu sistema de fotografia em papel preparado com uma combinação de Sal e Nitrato de Prata, que ficou conhecido como Papel Salgado. Com uma variação da técnica, ele conseguiu também fazer negativos em papel, que chamou de Calótipos. À ele é creditada a invenção da idéia de um negativo que funciona como uma matriz para inúmeras cópias, ao contrário do daguerreótipo que gerava um exemplar único.

Para divulgar sua técnica recém amadurecida, ele publicou o livro The Pencil of Nature (O lápis da natureza) em formato de 6 fascículos que foram lançados de 1844 a 1846. Este livro pode ser considerado o primeiro livro fotográfico comercial da história. Ele incluiu 24 imagens produzidas por Calótipo que demonstravam as diversas aplicações que a fotografia poderia ter.
Continue reading “O Lápis da Natureza (The Pencil of Nature), 1844


Genre: Fotografia, Livro de Fotografia
Subjects: calótipo, século 19

The evolution of photography (1890)

evolutionofphotography_Page_007

O interessante de ler um livro de história da fotografia de 1890 é que ele é bem mais profundo em relação aos seus primeiros 40 do que um livro atual que tem que embarcar 170 anos de acontecimentos.

O livro na verdade começa bem antes, nos descobrimentos científicos que levaram ao amadurecimento da fotografia. A invenção da fotografia foi na verdade um acúmulo de pequenas descobertas feitas ao longo de séculos. Nisso vem um aviso para os livros de história que você for ler, cada escritor, dependendo de sua nacionalidade vai provavelmente “puxar a sardinha” para o seu lado ou do que lhe agradar. Franceses vão defender Daguerre, ingleses vão destacar Talbot ou algum outro cientista inglês. Americanos podem defender os franceses por “birra” com os ingleses. Enfim, cada livro que você ler, vai apontar algum ponto decisivo para a invenção da fotografia.

De qualquer forma, é um livro bem interessante que traz personagens não tão conhecidos, pelo menos por mim. O autor também narra acontecimentos como uma pessoa que está vivendo os tempos narrados, falando de amigos e de conversas com os cientistas famosos. Incluí também uma “linha do tempo” das descobertas fotográficas.

Roger Sassaki

Link para download: https://archive.org/details/evolutionofphoto00werguoft

evolutionofphotography_Page_011

evolutionofphotography_Page_013

evolutionofphotography_Page_014


Genre: Fotografia, História da Fotografia
Subjects: século 19

Giphantie (1760) – Uma profecia fotográfica

Primeira edição de Giphantie. Imagem capturada da internet.
Primeira edição de Giphantie. Imagem capturada da internet.

Em 1760 (muito antes do nascimento da fotografia em 1839), o escritor francês Charles François Tiphaigne de la Roche escreveu um livro chamado “Giphantie”. O herói da história é levado por um temporal a uma estranha ilha chamada Giphantie, onde entre tantas aventuras, um guia lhe explica a técnica com a qual os nativos fixam as imagens.

Esta história podia ser considerada uma ficção científica na época, provavelmente influenciada pela “câmara escura” desenvolvida pelo filósofo italiano Batista Porta no meio do século 16. Porém, o tempo a tornou uma profecia cumprida quase como descrita.

Segue dois trechos do capítulo 10 do livro (traduzido livremente da versão inglesa de 1761):

— O Temporal
“Você sabe que os raios de luz, refletidos por diferentes corpos, fazem uma imagem e pintam seus corpos sobre todas as superfícies polidas, na retina dos olhos, por exemplo, na água, no vidro. Os espíritos elementares estudaram como fixar estas imagens fugazes: eles fizeram uma substância delicada, muito viscosa, e propícia a endurecer e secar, com a ajuda da qual uma imagem é feia num piscar de olhos. Eles cobrem com esta substância um pedaço de tela e a seguram em frente ao objeto que desejam pintar. O primeiro efeito da tela é como de um espelho, que é ver sobre ele todos os objetos distantes ou pertos, cuja a imagem a luz pode transmitir. Mas o que o espelho não pode fazer, a tela, por meio da substância viscosa, retém a imagem. O espelho mostra os objetos fielmente; mas mantém nenhum; nossas telas os mostram com a mesma exatidão, e retém todos eles. A impressão das imagens é feita no instante que são recebidas na tela, que é imediatamente levada a um local escuro; uma hora depois, a substância delicada seca, e você tem uma imagem muito mais valiosa, pois não pode ser imitada pela arte nem destruída pelo tempo.”

— A Galeria
“Em cada tela apareciam florestas, campos, mares, nações, exércitos, regiões inteiras; todos estes objetos eram pintados com tanta veracidade, que eu era frequentemente forçado a me relembrar, de forma a não cair novamente na ilusão. Eu não consegui discernir, a cada momento, se o que eu estava vendo pelas janelas não era uma pintura, ou o que eu estava vendo nas telas não era a realidade.”

Links para download

Sei que existe uma versão em inglês mas ainda não consegui achá-la inteira online

Download da versão francesa (1ª parte): http://books.google.com.br/books?id=0idPAAAAcAAJ&pg=PP7&hl=pt-BR&source=gbs_selected_pages&cad=3#v=onepage&q&f=false

Download da versão francesa (1ª e 2ª parte): http://gallica.bnf.fr/Search?adva=1&adv=1&tri=&t_relation=cb31472101r&q=giphantie

Giphantie_Page_006

Giphantie_Page_008

Giphantie_Page_009


Genre: Ficção, Fotografia, História da Fotografia

The silver sunbeam : a practical and theoretical text-book on sun drawing and photographic printing (1873) – oitava edição

The Silver sunbeam

Este é um dos guias famosos dos processos do século 19. Dado a data de publicação, a grande ênfase é dos processos que incluem o colódio. Também inclui uma grande variedade dos processos desenvolvidos até então, tanto de cópia quanto de captura.

A oitava edição traz um “guia rápido” no ínicio do livro para estudantes de fotografia conseguirem já fazer os procedimentos sem passar por toda a teoria explicada no conteúdo normal do livro.

É um manual pouco explorado por mim, mas sem dúvida merece mais atenção.

Roger Sassaki.

Link para download: https://archive.org/details/silversunbeampra00towl_1

silversunbeam_Page_018

silversunbeam_Page_019

silversunbeam_Page_020

silversunbeam_Page_021

silversunbeam_Page_022

silversunbeam_Page_023

silversunbeam_Page_024

silversunbeam_Page_025

silversunbeam_Page_026


Genre: Fotografia, Processos históricos
Subjects: Colódio, placa úmida, século 19